28.12.12

Feijão Tropeiro

Não me lembro se já comentei por aqui, mas quando criança morei muitos anos em Minas Gerais. E talvez seja até por memória afetia, mas da culinária brasileira, a cozinha mineira é, de longe, minha favorita. E os cerca de 8 anos vividos em BH e região tornaram minha mãe praticamente uma expert em comida mineira.
Um dos pratos mais populares (e uma das primeiras receitas que aprendi) é o feijão tropeiro. O prato é bastante simples de preparar, mas eu sempre o fiz no "olhômetro", então hoje procurei medir as quantidades de cada ingrediente para compartilhar essa receita com vocês. Essas quantidades eu recomendo que adaptem ao seu gosto (quem gosta muito de bacon pode colocar mais, assim como quem prefere o feijão mais 'sequinho' pode usar mais farinha e etc).

Ingredientes
1 cebola pequena picada
1 dente de alho picado
130g de calabresa fatiada em rodelas (3 calabresas daquela mais fina)
80g de bacon picado 
3 ovos
100g de farinha de mandioca
500g de feijão tipo Jalo cozido antecipadamente e escorrido (ou seja, sem o caldo)
Sal e pimenta do reino a gosto
Salsinha a gosto

Modo de preparo
Refogue a cebola e o alho na gordura que você preferir (pode ser azeite de oliva, manteiga, óleo de soja... hoje usei manteiga de garrafa e ficou uma delícia), em seguida frite o bacon e a calabresa. Acrescente os ovos, um de cada vez e mexa bem, até que ele se misture aos outros ingredientes e fique com aspecto de cozido. Acrescente então a farinha, misture bem até que se incorpore aos demais ingredientes, e então adicione o feijão aquecido (aqui em casa costumamoms manter um pote de feijão no congelador, então deixamos descongelando na geladeira durante a noite e o esquentei no microondas na hora de preparar a receita). Adicione então o sal e a pimenta (prove sempre, pois dependendo do seu bacon -e do seu paladar- pode precisar de mais ou menos sal). Por fim, desligue o fogo e acrescente a salsinha, dê uma misturada e está pronto!
O feijão tropeiro é tradicionalmente servido com torresminho, arroz, couve e alguma carne (combina demais com bisteca de porco). Essa receita rende facilmente pra umas 4 pessoas (dependendo, é claro, dos acompanhamentos que você servir).

20.12.12

Cuca


Quem é aqui da região de Blumenau, certamente aprecia a deliciosa cuca. E quem não é, sempre que conhece, acaba caindo de amores. De farofa ou nos mais variados sabores, a cuca de massa fermentada, macia e com crostinha crocante, é realmente uma delícia. Fazê-la em casa, apesar de parecer uma aventura, é bastante simples, com um resultado muito saboroso e com a vantagem de poder combinar os sabores e quantidades que quiser de recheio. Por aqui, fizemos de farofa e de chocolate com farofa - Aprovadíssimas!

Ingredientes
Massa
1 xícara de açúcar
1 colher de sopa de fermento biológico
1 xícara de leite em temperatura ambiente
1 xícara de água morna
1 ovo
1 colher de sopa de margarina
Canela em pó a gosto
Raspas de casca de limão a gosto
Aprox. 650g de farinha de trigo
Cobertura
1 barra de chocolate picado (170g)
1 xícara de farinha de trigo
1 xícara de açúcar demerara ou cristal
Aprox. 100g de manteiga em temperatura ambiente

Preparo
Massa:
Em um bowl, misture o açúcar, leite, água e fermento. Cubra e deixe descansar por uns 10 minutos. Acrescente o ovo, canela, raspas de limão, margarina e misture bem. Comece a agregar a farinha, misturando com as pontas dos dedos. Quando toda farinha tiver sido acrescentada, você terá uma massa úmida que ainda gruda nos dedos - o ponto é este mesmo. Trabalhe um pouco a massa dentro do bowl, para que ela fique elástica. Faça essa etapa com carinho e uns 15 minutos "massageando" a massa serão suficientes. Cubra a bacia e leve para um local mais morninho por aproximadamente 50 minutos (costumo deixar a bacia coberta com um pano de prato dentro do microondas). Passado o tempo de descanso, molhe as mãos (pois a massa é grudenta) e divida a massa em duas partes iguais. Unte levemente duas formas de 20x30 e com as palmas das mãos úmidas, vá esticando a massa para que forre o fundo da forma. Deixe as duas massas descansando por mais uns 10 minutos, enquanto coloca o forno para pré-aquecer a 180ºC e prepara a cobertura.
Farofa: Em uma bacia, misture bem o açúcar e a farinha. Esclareço que prefiro utilizar o açúcar demerara, pois por ele ter grãos maiores, confere maior crocância à farofa. Aos poucos vá agregando a manteiga e misturando com as pontas dos dedos, até que obtenha uma farofa - fica com aspecto de areia molhada.
Fizemos um cuca coberta apenas pela farofa e outra onde distribuimos o chocolate picado sobre a massa e a farofinha sobre o chocolate. Se quiser testar outros sabores (banana também é um clássico), acrescente o ingrediente sobre a massa (e sob a farofa). Cuca devidamente montada, é só levar ao forno por aproximadamente 20/30 minutos ou até que a farofa fique moreninha e a massa esteja bem assada.


Aproveitamos para desejar um Feliz Natal para todos nossos leitores e até a próxima receita!

14.12.12

Palha italiana

Tem receitas que só de olhar os ingredientes a gente já sabe que vai ficar bom... Por exemplo a palha italiana: tem brigadeiro, tem bolacha...Só pode ser bom. E é! As receitas tradicionais pedem achocolatado para fazer o brigadeiro. Eu quis aumentar um pouco o nível e ao invés de usar achocolatado, fiz o brigadeiro com gotinhas de chocolate belga 83% cacau, o que casou muito bem com o doce do leite condensado. Ficou equilibrado, sabe como é? Mas com achocolatado continua sendo bom, só que bem doce, e acredito que qualquer bom chocolate amargo cumpra a função. Outra coisa que modifiquei foi o ingrediente do "banho" que a palha leva depois de pronta. O tradicional pede açúcar refinado e eu fui de cacau em pó 100%. Acho que ficou uma combinação muito boa, que vale a pena experimentar.

Ingredientes
395g de leite condensado (1 lata)
100g de chocolate amargo picado ou em gotas
1 colher de sopa de manteiga
150g de bolacha maizena picada grosseiramente

Preparo
Leve ao fogo o leite condensado, chocolate amargo e manteiga, mexendo constantemente até que comece a desgrudar do fundo da panela. Desligue o fogo e acrescente as bolachas picadas, mexendo delicadamente para unir tudo. Transfira essa massa para uma assadeira untada com manteiga. Leve para gelar por pelo menos 4h ou até estar bem firme. Quando estiver geladinho e firme, corte a massa em quadradinhos e passe pelo cacau em pó. Depois é só manter na geladeira que fica bom por até uma semana.

6.12.12

Gingerbread Cookies

Seguindo o espírito da culinária natalina, testamos fazer em casa os famosos Gingerbreads - docinhos de melado e especiarias, muito comuns nos EUA (acho eu, pela incidência dele em imagens e filmes natalinos locais, hehe). A receita que fizemos é uma adaptação do clássico produzido pela Martha Stewart. Agora, não sei se é o nosso clima, nossos ovos, ou o que, mas foi necessária muito mais farinha do que a pedida na receita. De qualquer forma, ficou muito gostoso e acho que isso é o que importa. Sem contar que é divertidissimo enfeitá-los com glacê ou chocolate derretido.

Ingredientes
Docinhos
110g de margarina
100g de açúcar
120ml de melado
1 gema
250g de farinha peneirada (mais o necessário para dar ponto)
1/2 colher de chá de sal
1/2 colher de chá de fermento em pó
1/2 colher de chá de bicarbonato de sódio
1 colher de chá de canela em pó
1/2 colher de chá de gengibre em pó
1 colher de chá de cravo em pó
1/2 colher de chá de noz moscada
Glacê
1 xícara de açúcar de confeiteiro
4 colheres de chá de leite
1/2 colher de chá de extrato de baunilha

Preparo
Docinhos: Na batedeira, bata a margarina e o açúcar até formar um creme claro e fofo. Acrescente o melado (fica a dica: para que ele solte bem da xícara ou medidor, unte bem o recipiente antes de colocar o melado - depois ele solta facilmente e sem desperdício) e a gema. Bata até ficar uniforme.Acrescente o sal, fermento, bicarbonato e especiarias. Misturando com as mãos, vá acrescentando a farinha, até que a massa comece a desgrudar das mãos, mas que ainda esteja ligeiramente úmida, isso porque ela será levada à geladeira e esse processo ressecará um pouco a massa e a tornará mais fácil de abrir o rolo. Se acrescentar farinha demais, ficará seca e se esfarelará. Quando a massa estiver no ponto, abra um plástico filme e coloque a massa no centro dele, formando um quadrado. Feche bem a massa e leve à geladeira por mais ou menos uma hora. Passado esse tempo, retire um pedaço da massa e reserve o restante na geladeira. Enfarinhe uma superfície e abra a massa até a espessura desejada - apesar do fermento, esses biscoitos não crescem muito, portanto vale abrí-los mais ou menos na espessura final desejada. Corte com os cortadores escolhidos e leve para assar em forma levemente untada, em forno pré-aquecido a 180ºC. No nosso forno levou cerca de 10 minutos para ficarem moreninhos, mas cada forno tem suas características e regulagens, portanto vale ficar de olho nos biscoitinhos - quando estiverem moreninhos e sequinhos, pode retirá-los e colocá-los sobre uma superfície para esfriarem. Não empilhe os docinhos recém tirados do forno, pois assim não ficarão crocantes. Repita essas operações com toda a massa restante.
Glacê: misture todos os ingredientes até formar uma pastinha - simples assim, sem batedeira, sem fogo... Coloque o glacê num saco de confeiteiro com bico fino (nº1 ou 2) e use a criatividade para decorar os docinhos. Voê também poderá tingir esse glacê, se desejar. Além do glacê, derretemos chocolate amargo para fazer alguns contornos. Chocolate combina muito bem com esses docinhos.

30.11.12

Docinhos de Natal

O mês de novembro chegou ao fim, e o Natal se aproxima. E quando se fala em Natal, logo vêm à cabeça canções natalinas, pinheiros decorados, a figura do papai noel e, é claro, docinhos de natal!
Então, antes que seja tarde, as festas passem e o novo ano chegue, vou compartilhar com vocês essa receita que aprendi com minha mãe.
A receita estava anotada em meu caderno, mas desde o dia em que aprendi a fazer os docinhos, nunca tentei botá-la em prática. É o meu segundo natal desde que saí da casa de minha mãe, e no ano passado eu e a Bia compramos os docinhos prontos. Pois este ano decidimos que iríamos fazê-los nós mesmos.
Quando minha mãe faz docinhos de Natal, ela não faz apenas o suficiente para ter em casa. Ela faz uma quantidade bastante grande, para compartilhar os biscoitos com boa parte da família. Como não tínhamos a intenção de fazer docinhos para um batalhão, fizemos apenas um quarto da receita original, e é nestas proporções que compartilho com vocês (o glacê é receita da avó da Bia):

Para fazer o biscoito:
Ingredientes:
125g de margarina
250g de açúcar
2 ovos inteiros + 1 gema
1/2 colher de sopa de salamoníaco
500 a 800g de farinha de trigo
cravo e canela (em pó) a gosto
Modo de preparo:
Bata a margarina, os ovos e o açúcar até que todos os ingredientes se incorporem (eles se misturam facilmente, então não é necessário o uso da batedeira: o fouet já cumpre bem a missão). Acrescente o salamoníaco, o cravo, a canela e a farinha, e misture. Como toda massa, é difícil estipular uma quantidade precisa de farinha (depende de alguns fatores, principalmente do tamanho dos ovos utilizados), então pode acrescentar cerca de 500 gramas e ir acrescentando mais farinha aos poucos, até a massa não grudar mais nas mãos.
Abra a massa com um rolo, sobre uma superfície enfarinhada, com cerca de meio centímetro (se gostar do biscoito mais 'gordinho', pode abrir a massa mais grossa). Use um cortador de biscoitos para fazer os docinhos no formato de sua preferência, e distribua-os sobre uma forma untada, ou forrada com papel manteiga. Se não tiver cortadores de biscoitos, use a boca de um copo ou apele para sua criatividade e descubra outro objeto em sua cozinha que pode realizar essa função.
Asse em forno aquecido a 180º até que os docinhos fiquem corados.

Para fazer o glacê:
Ingredientes:
1 clara de ovo
100g de açúcar
1/2 colher de chá de cremor de tártaro
suco de meio limão
Modo de preparo:
Bata todos os ingredientes na batedeira por cerca de 10 minutos, até formar picos firmes. Para saborizar mais o glacê, acrescentamos também raspas de limão. Mas se você for decorar com um saco de confeitar, é melhor não usar as rapas, pois elas entopem o buraco de saída (descobrimos isso na prática).

Para decorar, use sua criatividade e a técnica que lhe for mais confortável. Uma alternativa é passar o glacê sobre o docinho com uma faca e espalhar confeitos sobre ele. Você pode também usar um saco de confeitar e usar seus talentos artísticos.

16.11.12

Pão Achatado

Fazer pão parece uma atividade trabalhosa e difícil, não é? Mas temos descoberto que pode ser algo bem agradável de ser feito, além de fácil e com um resultado bem satisfatório. Esse pão achatado, tirado do livro Cooking - Segredos e Receitas, tem ainda a vantagem de não ser assado no forno, e sim na frigideira. Fica bem gostoso para ser comido na hora. E se sobrar, é só utilizá-lo para fazer pizzas rápidas - uma delícia.

Ingredientes
500g de farinha de trigo
7g de fermento granulado biológico
2 colheres de chá de sal
3 colheres de sopa de azeite de oliva
250-300ml de água

Preparo
Em uma bacia, misture o trigo, o fermento, o sal e o azeite. Acrescente parte da água e comece a amassar a massa. Eu coloquei inicialmente 200ml de água, mexi bem a massa e acrescentei mais 50ml, sendo que com isso a massa já ganhou um aspecto mais uniforme. Transfira para uma bancada e comece a sovar a massa. Perceba se ela ganha elasticidade e uniformidade. Se sentir que está quebradiça, acrescente mais uma quantidade de água. Utilizei aqui, para 500g de trigo, 275/280ml de água. Siga sovando por uns 15 minutos, até conseguir esse aspecto macio e elástico da massa, que não grude nas mãos. Coloque a massa em uma bacia untada e deixe descansar dentro do forno desligado ou no microondas, por aproximadamente 45min ou até dobrar de tamanho. Passado o tempo de crescimento, sove a massa por mais 5 minutos. Divida-a em oito bolinhas iguais. Achate essas bolinhas até que fiquem com 0,5cm de espessura, aproximadamente. Disponha os discos em uma assadeira e deixe que cresçam por mais um 10 minutos. Aqueça uma frigideira antiaderente e coloque um disco por vez para assar. Aí é quase como fazer uma panqueca: asse por um lado, por aproximadamente 3 minutos, ou até quando aparentar assado. Vire o disco e deixe assando pelo mesmo tempo que deixou o outro lado. Sirva na sequência.

9.11.12

Profiteroles

Apesar da Carolina (é como chama-se o "bolinho" sem recheio, nos profiteroles) ser uma massinha um pouco sem graça, um bom recheio e/ou cobertura tornam os profiteroles docinhos deliciosos, e uma excelente opção de sobremesa para festas ou coquetéis.
Essa é a receita da massa, que tirei do livro Cooking - Segredos e Receitas. Nesta ocasião da foto, fiz o recheio apenas com doce de leite, e a cobertura com chocolate derretido.

Ingredientes:
60g de farinha de trigo
50g de manteiga
150ml de água
2 ovos

Modo de preparo:
Em uma panela (de preferência com um diâmetro pequeno, pois facilita na hora de misturar a massa), leve a manteiga e a água ao fogo baixo, mexendo apenas o suficiente para obter uma mistura homogênea. Assim que começar a ferver, tire do fogo e adicione a farinha, misturando vigorosamente com uma colher de pau até que a mistura fique encorpada, lisa e forme uma bola. Aguarde esfriar por uns 10 minutos, e então adicione os ovos, incorporando um de cada vez à massa.
Coloque a massa dentro de um saco de confeitar, e faça bolinhas do tamanho aproximado de uma noz, posicionando o bico do saco perpendicularmente à assadeira (forrada com papel manteiga), e afastando-o enquanto aperta levemente o fundo do saco.
Leve ao forno (aquecido a 220º) e deixe assar até que a massa esteja crocante e dourada (no meu forno levou uns 20 minutos). Tire do forno, faça um corte na lateral e leve novamente ao forno por mais uns 2 minutos para que fique sequinha por dentro.
Aí é só montar (mas aconselho que tirem as carolinas da assadeira antes que esfriem, ou elas grudam no papel manteiga e você perde o fundo de todas), cortando-a ao meio para colocar o recheio de sua preferência e/ou despejando a cobertura que você quiser sobre elas.

29.10.12

Bolinhos de Mel



Pensa num bolo de mel fofinho, levinho e gostoso... É esse! Usei como base a receita deste bolo de cenoura que publicamos e também alguns ingredientes de um pão de mel bem gostoso que fazemos aqui em casa (em breve publico a receita dele também!) . Joguei a cenoura de escanteio, troquei o açúcar por mel e o leite por chá de especiarias. Voilá! Com doce de leite fica uma delícia!

Ingredientes
1 xícara de mel
1 xícara de chá forte de erva-doce, cravo, canela em pau e cardamomo (deixe esfriar)
1/2 xícara de óleo vegetal
1/3 xícara de açúcar
3 ovos pequenos
3 colheres de sopa de chocolate em pó (aqui não vale achocolatado)
1 e 1/2 xícara de farinha de aveia
1/2 xícara de farinha de trigo
1 colher de sopa de fermento em pó
1 colher de chá de bicarbonato de sódio

Preparo
Com antecedência prepare o chá, para que ele esfrie até a hora que você for preparar o bolo. Para prepará-lo, eu costumo medir 1 xícara e meia de água, 3 colheres de sopa de cravos, 2 colheres de sopa de erva-doce, 1 canela em pau e uns 4 grãozinhos de cardamomo. Fervo a água, acrescento as especiarias, desligo o fogo e abafo o bule. Chá pronto e frio, podemos começar o bolo: no liquidificador coloque o mel, óleo, chá, açúcar e os ovos. Bata por uns 3 a 5 minutinhos. Acrescente o chocolate em pó e bata mais um tanto.  Acrescente as farinhas e bata até ficar homogêneo. Por último acrescente o fermento e o bicarbonato, batendo apenas para incorporar. Encha 3/4 das forminhas de muffin e leve para assar em forno pré-aquecido a 180º.  Para o dia a dia comemos eles sem cobertura, mas eles combinam demais com uma cobertura de doce de leite.

21.10.12

Pão de queijo

Tradicional iguaria brasileira, o pão de queijo, acredito eu, agrada a maioria das pessoas. Quentinho e recém saído do forno é uma delícia pro café da manhã ou lanche da tarde. Essa receita é da minha sogra. Certamente ainda não consegui chegar ao ponto do pão de queijo dela, mas a receita é muito fácil de ser executada e resulta em pãezinhos de queijo deliciosos. Vale fazer em casa para comer a qualquer hora!

Ingredientes
500g de polvilho azedo
150ml de água
150ml de óleo
1 colher de café de sal
3 ovos
300g de queijo colonial
Leite (quanto baste)

Preparo
Em uma panelinha, leve a água e o óleo para ferver. Enquanto aguarda, despeje o pacote de polvilho em uma travessa e acrescente o sal. Escalde o polvilho com a água e óleo fervidos. Mexa o polvilho com uma colher e quando for possível tocar nele sem se queimar, esfarele-o com as mãos. Isso levará um tempo, pois terá que ir mexendo nele até que fique bem soltinho e frio, para poder agregar os demais ingredientes. Acrescente os ovos e o queijo ralado ao polvilho. Mexa bem até que consiga unir todos os ingredientes e obtenha uma massa homogênea. Se a massa estiver muito seca, vá acrescentando leite até que fique no ponto. A quantidade de leite pode realmente variar, pois depende do tipo de polvilho, do queijo, do tamanho dos ovos...Já fiz a receita usando apenas uma colher de sopa de leite para chegar ao ponto e outras vezes precisei usar muito mais. Agora é só pré-aquecer o forno a 180º enquanto faz as bolinhas para assar. Caso queira congelar a massa, você tem duas opções: separar a massa em porções e congelá-la em potes para fazer as bolinhas antes de assar ou então bolear a massa toda, levar para congelar em um forma e depois guardar as bolinhas congeladas em saquinhos. Desta forma, nem precisa descongelar antes de assar.

8.10.12

Muffins de iogurte e aveia

 Andava meio saturada de bolos integrais - usando a farinha de trigo integral, parecia que meus bolos estavam ficando todos com mesmo gosto e cheiro. Isso vinha me deixando bastante triste, pois estava sempre à procura de receitas ou substituições mais saudáveis para meus bolos: mais fibras, menos gordura, menos açúcar... Eu amo bolos e não vivo sem, ou seja, já estava na fase de fazer bolos gordinhos novamente. Até que descobri que não só na farinha de trigo integral que vivem as fibras e bolos de sucesso: passei a utilizar farinha, fibra e flocos finos de aveia no lugar da farinha de trigo comum. Resolvido meu problema! Foi nesse bolo super gostoso do blog Quitandoca que resolvi utilizar e adaptar os derivados da aveia no lugar da farinha de trigo e deu certo:

Ingredientes (*as medidas são todas baseadas no copinho do iogurte, ok?)
1 copo de iogurte natural - usei um desnatado já adoçado (ou com sabor, se desejar)
1 copo e meio de açúcar - usei demerara orgânico (lembrando: o copo de medida é o de iogurte!)
1/2 copo de óleo
1 copo de farinha de aveia
1/2 copo de farinha de trigo branca
1/2 copo de aveia em flocos finos
4 ovos pequenos
1 colher de sopa de fermento em pó
Acrescentei ainda um punhado de gotinhas de chocolate amargo

Preparo
Primeiro bata bem no liquidificador por uns cinco minutos o iogurte, óleo, açúcar e os ovos. Acrescente as farinhas e bata mais um pouco, até ficar homogêneo. Transfira a mistura para uma travessa e incorpore delicadamente o fermento e as gotinhas de chocolate. Encha até 3/4 das forminhas para muffin e leve para assar em forno pré-aquecido em 200º, até que fazendo o teste do palito o mesmo saia limpo.
* Na próxima vez que eu fizer o bolo, utilizarei chocolate granulado ou splits de chocolate no lugar das gotinhas: como a massa é bastante líquida, as gotinhas desceram e ficaram coladas no fundo da forminha. Mas mesmo assim, gostoso.

5.10.12

Muffins de cenoura "formigueiro"


 Eu sei que já postamos uma receita de bolo de cenoura aqui no blog. Mas naquela época eu ainda não conhecia essa receita maravilhosa. E agora que a conheço, não acharia justo deixar de compartilhar aqui no blog. Gostei dessa receita principalmente pela "leveza" obtida... Estamos acostumados com bolos de cenoura que levam litros de óleo e eu não acho isso legal. Essa receita que conheci através do blog Feito na Hora, leva pouco óleo e é extremamente versátil, tanto é que de primeira já fui inventando substituições e deu certo.

Ingredientes (*xícara medidora de 240ml)
200g de cenouras descascadas e em pedaços
3 ovos
1/2 xícara de óleo vegetal
1 e 1/2 xícara de açúcar - usei o demerara
1 xícara de leite - usei desnatado
1 e 1/2 xícara de farinha de trigo
1/2 xícara de aveia em flocos finos
1 colher de sopa de fermento em pó
Splits ou granulados de chocolate amargo e ao leite
Chocolate amargo e confeitos para a cobertura

Preparo
Peneire a farinha e o fermento em um bowl, acrescentando também os flocos de aveia e os splits ou granulados de chocolate. Deixe reservado. No liquidificador, bata por aproximadamente cinco minutos as cenouras picadas, os ovos, o óleo, o leite e o açúcar. Junte essa mistura aos ingredientes secos, mexendo delicadamente para incorporar. Encha até 3/4 das forminhas de muffin com a massa e leve para assar em forno pré-aquecido a 200º, até que fazendo o teste do palito o mesmo saia limpo. Depois que os bolinhos estavam frios, derreti uma porção de chocolate amargo e cobri os bolinhos com ele e com confeitos, para dar um charme.

30.9.12

Salgadinhos Recheados


Já mencionei aqui no blog sobre as habilidades de minha mãe na cozinha. Pois ela sempre fazia alguns 'quitutes' quando eu recebia amigos em casa, ou quando tinha ensaio de alguma das minhas antigas bandas. E todos sempre se esbaldavam e brincavam que a refeição era a melhor parte de ir até minha casa. Pois dentre os petiscos que minha mãe fazia, dois eram os favoritos: o pão de queijo (cuja receita postaremos aqui eventualmente) e esses salgadinhos.
E o tempo passou, cresci, saí de casa, mas minha mãe ainda faz os famosos salgadinhos (sempre há alguns congelados em seu freezer - e de vez em quando trazemos alguns para nós), mas enfim aprendi a fazê-los eu mesmo. Os recheios podem variar de acordo com sua criatividade. Os "doguitos" (ou enroladinhos de salsicha) e as esfihas de carne e de calabresa costumam ser as favoritas. E agora compartilho aqui a receita da massa:

Ingredientes:
2 colheres de sopa de fermento biológico seco
1 colher de sobremesa de açúcar
1 copo de água morna
1/2 copo de água (em temperatura ambiente)
1/2 copo de óleo
1 colher de sobremesa de sal
farinha de trigo (o quanto for necessário para dar o ponto da massa -costumo usar entre 500 e 800g)
1 ovo (para pincelar sobre os salgadinhos)

Modo de preparo:
Em um bowl, misture o fermento, o açúcar e a água morna, e deixe em repouso por uns 5 minutos para que o fermento reaja. Acrescente então o resto dos ingredientes. Vá acrescentando a farinha aos poucos, até que a massa fique homogênea e desgrude facilmente dos dedos.
Para facilitar a montagem dos salgadinhos, separe a massa em partes menores (cerca de 3 a 5 são suficientes). Então tire pequenos pedaços, abra a massa (pode ser na própria palma da mão, ou em uma superfície enfarinhada, com um rolo de massa), distribua uma porção do seu recheio escolhido e feche a massa da maneira que lhe for mais prático. Testamos em formatos de esfiha, bolinhas, "travesseirinhos" e a óbvia "salsicha enrolada" (que foi a mais fácil).
Bata o ovo em uma tigela, e pincele sobre a massa para deixar o salgado coradinho. Leve ao forno até que a massa esteja corada.

23.9.12

Panquecas


Essa receita foi uma das melhores descobertas que fiz nos últimos tempos. Antes, para mim, panquecas eram só aquelas massas fininhas, enroladinhas com recheio. E sempre que assistia algum clássico da Disney, onde o Pato Donald comia panquecas gordinhas e o Tico e Teco faziam de tudo para roubá-las, ficava imaginando como eram feitas aquelas panquecas apetitosas, com calda escorrendo. Aparentemente o Caio do blog www.brogui.com, tinha essa mesma dúvida e decidiu compartilhar a receita de Panquecas na seção "Ana Maria Brogui".  A receita original é "neutra", nem doce, nem salgada, o que é bem legal, pois usando a criatividade, você pode criar uma diversidade de panquecas.

Ingredientes
1 xícara de farinha de trigo
2 colheres de chá de fermento em pó
1/2 colher de chá de sal
2 colheres de chá de margarina/manteiga - derretida e fria
2 colheres de chá de açúcar
1 ovo
1 xícara de leite

Para panquecas doces:
Não tem muito segredo, é só usar a criatividade: aumente um pouco o açúcar, acrescente baunilha, gotinhas de chocolate, frutas picadas...Pode inventar, porque essa receita é realmente muito boa e permite isso.
Para panquecas salgadas:
Aqui é a mesma coisa: diminua o açúcar, aumente o sal, acrescente temperos, ervas, presunto, queijo, peito de peru ou o que desejar, bem picadinhos.


Preparo
Comece com os líquidos: em uma bacia, bata bem (com um garfo ou fouet) o ovo, leite e a margarina derretida. Quando estiver bem homogêneo, peneire a farinha, o sal, açúcar e fermento sobre os líquidos e misture bem até incorporar. Quando a massa estiver bem lisa, é hora de acrescentar e misturar os "recheios". Para fritar é simples: se você tiver em casa uma boa frigideira em teflon, não será necessário untá-la. Coloque-a sobre o fogo e deixe que esquente um pouco. Com o auxílio de uma concha de servir, despeje uma porção da massa no centro na frigideira (como a massa é grossinha, não dá muito trabalho deixá-la no lugar). Nessa hora é preciso prestar atenção: quando a massa começar a criar bolhas em toda a porção colocada na frigideira, é hora de virar a panqueca. Vire com uma espátula e calcule para que ela fique o mesmo tempo que o outro lado levou assando. Repita a operação até acabar com toda massa. Sirva as panquecas doces com caldas ou frutas frescas (em momentos de gordice, Nutella® e doce de leite caem muito bem também). E as salgadas ficam uma delícia com requeijão.
As bolhas na superfície indicam a hora de virar a panqueca.

13.9.12

Bolo Nega-Maluca


Acho difícil quem não conheça ou tenha uma receita de nega-maluca em casa. Bolo clássico, "das antigas" e super fácil de fazer, dispensa até a batedeira - ou vai dizer que sua bisavó tinha esse luxo em casa? Pode ser loucura, mas quando faço o bolo, acho que ele fica mais macio quando uso a colher de pau do que com a batedeira. Essa receita rende um bolo pequeno, então se quiser servir mais pessoas vale dobrar a receita!

Ingredientes
2 ovos
3/4 de xícara de óleo vegetal
1 xícara de chocolate em pó (vale achocolatado -nescau®- ou cacau em pó)
1 xícara de açúcar
2 xícaras de trigo
3/4 de xícara de água fervente
1 colher de sopa rasa de fermento em pó
1 colher de chá de bicarbonato de sódio
1 pitada de sal

Cobertura
6 colheres de sopa de achocolatado
6 colheres de sopa de açúcar
4 colheres de sopa de leite
1 colheres de sopa de manteiga/margarina

Preparo
Comece batendo os ovos, com o óleo, açúcar e chocolate em pó. Eu uso um fouet para esta etapa, batendo por alguns instantes até criar bolhas e ter uma mistura homogênea. À esta mistura, acrescento uma das xícaras de trigo, incorporando bem, agora com uma colher de pau. Com isso a massa fica um pouco mais pesada, então antes de acrescentar a segunda xícara de trigo, adicione um pouco da água fervente. Adicione o restante do trigo e da água, mexendo bem. Finalize com o fermento,  bicarbonato e sal, misturando apenas o suficiente para incorporar. Leve para assar em forma untada e enfarinhada, em forno pré-aquecido a 200º. Estará pronto quando fazendo o teste do palito o mesmo saia limpo. Para fazer a cobertura, basta levar todos os ingredientes ao fogo até levantar fervura, mexendo às vezes. Eu deixo fervendo por um tempo, até obter uma calda mais espessa. Faça furos no bolo com um garfo e espalhe a cobertura - assim ela penetrará no bolo e você terá a alegria de encontrar "caminhos" de calda no meio de sua fatia de bolo.

8.9.12

Cookies




Essa receita já está no meu caderninho há tanto tempo que nem me lembro de onde peguei. A original levava açúcar mascavo, mas como eu não sou muito fã e achava que o sabor dele se sobressaía no cookie, eu substituo por açúcar demerara.

Ingredientes: 
100g de manteiga (em temperatura ambiente)
3/4 xíc. de açúcar
3/4 xíc. de açúcar demerara
1 ovo
1 colher (chá) de bicarbonato de sódio
2 xíc. de farinha de trigo
1/2 colher (chá) de sal
1 colher (chá) de essência de baunilha
Gotas de chocolate

Modo de Preparo:
Misture todos os ingredientes, com exceção das gotas de chocolate. Recomendo começar misturando com uma colher de pau (ou outro utensílio parecido), até que os ingredientes se incorporem levemente. Aí então o ideal é, literalmente, meter a mão na massa.
Amasse até que a mistura fique homogênea. Não estranhe, a massa é grudenta mesmo, e você terá uma certa dificuldade em desgrudá-la dos dedos.
Acrescente então as gotas de chocolate, de acordo com seu gosto (costumo usar cerca de 1 e 1/2 a 2 xícaras), e misture-as à massa com a colher.
Forre uma forma grande com papel manteiga, e com o auxílio de 2 colheres de chá, faça bolinhas com a massa, deixando um espaço de pelo menos 3 cm entre elas, pois a massa se espalha enquanto assa.
Leve ao forno (devidamente pré-aquecido a 200ºC) até que os cookies estejam dourados.
Após tirar do forno, deixe os biscoitos esfriarem por alguns minutos, para que endureçam e soltem mais facilmente do papel manteiga.
Obs: Aqui em casa essa receita rende umas 3 "fornadas". Então uso 2 fôrmas, pois enquanto uma assa, vou fazendo as bolinhas na outra.

Variações:
Se quiser fazer seus experimentos, tente usar castanhas ou frutas secas no lugar das gotas de chocolate, ou substitua 1/4 de xícara de farinha por chocolate em pó.

31.8.12

Muffins de baunilha com Nutella®

O tal do creme de avelã é uma invenção incrível, não? E quem gosta de fazer bolos, como eu, vai adorar saber que ele é um ótimo recheio, podendo ser levado para assar junto com a massa. É muita praticidade! Essa receita eu adaptei do livro 200 Receitas Irresistíveis com Chocolate. Como o livro é todo voltado para receitas com chocolate, esse bolinho tinha massa achocolatada e o recheio/mesclado de creme de avelã. Mas eu optei em transformar a massa e fazê-la de baunilha, para que o Nutella® ganhasse mais destaque. Deu certo!

Ingredientes
395g de farinha de trigo
200g de açúcar
150ml de óleo vegetal
150ml de leite - usei desnatado
2 ovos
2 colheres de chá cheias de fermento
1 colher de chá de bicarbonato de sódio
Baunilha - você pode usar fava de baunilha, essência, pasta de baunilha - o que tiver. Usei pasta de baunilha e um pouquinho de extrato caseiro de baunilha.
Nutella® a gosto - acredite, não quero limitar o uso deste ingrediente.

Preparo
Em um bowl peneire a farinha, o fermento e o bicarbonato - reserve. Em outro, bata com um fouet, ou batedeira, os ovos, leite, óleo, baunilha e o açúcar, até ficar bem homogêneo. Una a mistura de ingredientes líquidos e açúcar à mistura de farinha, fermento e bicarbonato. Misture delicadamente com uma colher de pau até incorporar - não misture ou bata demais, pois o fermento perderá suas propriedades. Coloque a massa em forminhas para cupcakes/muffins, preenchendo um pouco menos de 2/3 da capacidade. Sobre a massa, espalhe uma porção de Nutella. Eu uso um palito de churrasco, por ser mais grossinho, para fazer movimentos espirais e mesclar a Nutella à massa. Leve para assar em forno pré-aquecido a 200ºC, até que inserindo um palito de dentes no bolinho, ele saia limpo - procure inserir o palito em um cantinho do bolo que não tenha Nutella®, pois onde ele estiver, o bolinho seguirá úmido e o palito sairá sujinho de chocolate.

27.8.12

Sobremesa de infância - Pudim Chinês

Eu tenho um paladar nostálgico. Às vezes como coisas que me lembram algo que comia quando criança ou então fico relembrando como eram as embalagens e sabores das bolachas e chocolates que comia quando menor. Na minha cabeça era tudo tão mais gostoso, sem comparação com as versões atuais. Infelizmente, no que diz respeito a esses produtos industrializados fica difícil matar a saudade dos sabores da minha infância. Mas quando o assunto é sobremesa de mãe, fica fácil fazer uma busca no caderninho de receitas e fazer seu paladar viajar "de volta para o passado". E o pudim chinês é uma das sobremesas da minha infância, pois sempre estava presente nos aniversários e festinhas em casa. Eu acho muito gostoso e é bem fácil de fazer!

Ingredientes
Pudim
1 lata de leite condensado
1 lata e meia de leite
2 gemas
3 colheres de sopa de amido de milho
Essência ou fava de baunilha
Espuma e gelatina
1 gelatina de morango
2 claras em neve com 2 colheres de sopa de açúcar

Preparo
Pudim: coloque todos os ingredientes em uma panela e mexa bem, até ficar uniforme. Leve ao fogão, em fogo médio, mexendo sempre até ferver e engrossar. Deixe esfriando.
Espuma e gelatina: prepare a gelatina de acordo com as instruções do fabricante: 250ml de água fervente e 250ml de água fria. Reserve. Bata as claras em neve junto com as colheres de açúcar, até formar picos firmes - se você tiver cremor de tártaro em casa, é um boa hora para usar meia colher de chá e deixar as claras bem firmes! Agora é só unir delicadamente a gelatina com as claras em neve. Não bata, apenas misture com delicadeza, pois se for muito mexido, você perderá as suas claras. O objetivo aqui é tingir e dar sabor a elas.
Montagem: em potinhos individuais ou em travessa única, coloque o pudim no fundo e cubra com cuidado com a mistura de claras em neve e gelatina. Leve para gelar.

18.8.12

Batata recheada


Apesar de ter ido muitas vezes à Oktoberfest antes de começar a namorar a Bia, a primeira vez que comi batata recheada foi graças a ela. Fomos à festa, lá em nosso primeiro ano de namoro, e na hora de escolher o que eu ia comer, ela ficou até surpresa: "Nunca provou batata recheada?!"
Desde então, ficou impossível ir à Oktoberfest sem comer a bendita da batata. E eu chegava a ficar ansioso para chegar outubro só pra apreciar o prato, que até então era difícil encontrar para vender fora dessa época. E foi numa dessas (e de tanto eu falar como gostaria de comer batata recheada o ano inteiro) que minha mãe resolveu tentar preparar algumas em casa.
Ficou uma delícia (diga-se de passagem, minha mãe é uma cozinheira muito talentosa), e ainda com a vantagem de poder rechear a batata à vontade! E é assim que fazemos desde então:

Ingredientes
Batatas graúdas
Bacon
Calabresa
Requeijão
Queijo mussarela
Queijo provolone
Azeite e sal

Preparo
Batatas: lave-as muito bem e retire os machucadinhos que as cascas possam apresentar. Seque e as envolva com o azeite e sal, para que fiquem crocantes e saborosas quando assadas (outra vantagem de fazer a batata em casa: sabemos que elas estão bem higienizadas, já que fomos nós que as lavamos, então nos sentimos seguros para comer a casca). Disponha-as em uma assadeira e leve a forno pré-aquecido a 180ºC. O tempo exato é imprevisível, pois depende do seu forno e das batatas escolhidas. Mas prepare-se para umas duas horas de forno, para ter batatas macias e cascas coradas. Caso queira dar uma agilizada nesse processo, testamos um ensinamento do Jamie Oliver: depois de lavar as batatas, coloque-as em um recipiente que possa ir ao microondas. Envolva o recipiente com plástico filme e leve ao microondas por 15 minutos. Assim as batatas ficam cozidas e macias! Depois disso, siga a ideia de temperá-las com azeite e sal e leve ao forno para que fiquem coradas.
Bacon e calabresa: como temos moedor de carne, passamos o bacon e a calabresa por ele, separadamente. Caso você não tenha o moedor, pique-os de acordo com seu gosto, mas indicamos os pedaços pequenos. Ficam mais interessantes na batata. Depois de moidos/picados, frite o bacon e depois a calabresa, para escorrer o excesso de gordura. Disponha-os em papel toalha para dar uma secada e depois transfira para travessas que possam ir ao forno, forradas com papel manteiga. Cerca de 5 a 10 minutos antes de servir, colocamos as travessas de bacon e calabresa no forno, para que fiquem sequinhos e crocantes.
Queijos: basta ralar.

Montagem
Abra a batata ao meio e amasse bem a polpa. Coloque o requeijão, bacon e/ou calabresa e cubra com o queijo. Só não esqueça de tomar cuidado, pois as batatas estarão bem quentes!

Dica extra: a batata recheada fica também muito gostosa com linguiça tipo Blumenau ou patê, além de strogonoff de carne ou frango. E sinta-se livre para experimentar os mais variados recheios que sua imaginação permitir.

10.8.12

Bolo/Torta de Queijo

 Este bolo é bem tradicional aqui em Blumenau, acho que toda padaria vende - claro que nem todos são bons. E eu gosto tanto dele, mas tanto, que queria a minha versão. Encontrei diversas receitas na internet e livros, mas acabei fazendo a minha receita (um pouquinho daqui e acolá), adaptando de acordo com o que meu paladar dizia que devia conter naquelas que eu considerava as melhores versões do bolo que havia comido. Olha, acho que cheguei perto... Ainda não ficou como eu imaginava 100%, mas ficou bem bom. Até quem dizia não curtir muito bolo de queijo, gostou.

Ingredientes
Massa
250g de farinha de trigo
120g de manteiga
70g de açúcar demerara
1 ovo

Creme de queijo
500g de ricota
1 lata de leite condensado
1 e 1/2 da medida da lata de leite
3 ovos
2 colheres de sopa de açúcar
2 colheres de sopa de amido de milho
Raspas das cascas de 2 limões (galego)

Cobertura
1 lata de leite condensado
Suco de dois limões

Preparo
Massa: misture bem todos os ingredientes e amasse com as mãos até que fique parecida com uma massa de modelar. Modele a massa no fundo e laterais de uma forma com fundo removível de 25cm de diametro. Reserve enquanto prepara o recheio.
Creme: coloque todos os ingredientes no copo do liquidificador e bata por uns 5 minutos. O creme ficará com um aspecto bem líquido, não se preocupe. Coloque o creme sobre a massa e leve para assar em forno pré-aquecido a 180ºC por aproximadamente 50min ou até que fique firme e dourado. Retire do forno e deixe esfriando.
Cobertura: misture a frio o leite condensado com o suco dos limões. Você perceberá que ele ficará mais firme. Espalhe a cobertura sobre o bolo e leve para gelar.

7.8.12

Hi hat cupcakes


Eu já comentei aqui que uma das minhas diversões na cozinha é preparar cupcakes, né? Na verdade, muffins, já que eu geralmente opto por versões simples, sem recheio ou cobertura. Até que um dia decidi me aventurar em uma receita mais complexa, com "topping" de marshmallow e chocolate. Quaaaase deu certo, se eu não tivesse comprado um chocolate para cobertura que não me agradou no sabor e eu desisti de fazer a receita por completo (eu deveria ter mergulhado o marshmallow inteiro no chocolate). Mas esses cupcakes são muito gostosos e vale a pena gastar um tempinho com eles. A massa é úmida, macia e muito gostosa.  O marshmallow, que nunca havia sonhado em fazer em casa, é uma delícia. As sobras caíram muito bem com morangos. Nham! A receita original é da Martha Stewart, mas peguei já com adaptações brasileiras do blog Casa de Farinha.

Ingredientes

Massa
80g de chocolate amargo picado
1 xícara de farinha
½ colher de chá de fermento em pó
½ colher de chá de bicarbonato de sódio
¼ colher de chá de sal
100g  xícara de manteiga amolecida
1 ¼ xícara de açúcar
2 ovos
1 colher de chá de extrato de baunilha
½ xícara de creme de leite
½ xícara de água

Marshmallow
1 ¾ xícaras de açúcar
¼ xícara de água
3 claras
¼ colher de chá de cremor de tártaro
1 colher de chá de extrato de baunilha

Cobertura chocolate
350g de chocolate para cobertura derretido com duas colheres de sopa de óleo de canola.

Preparo
Massa: Comece derretendo o chocolate em banho-maria ou no microondas e deixe esfriar. Em uma tigela misture os ingredientes secos (farinha, fermento, bicarbonato e sal). Na tigela da batedeira, bata a manteiga e o açúcar em velocidade média, até ficar leve e fofo. Mude a velocidade para baixa e acrescente o chocolate derretido. Mude a velocidade para média e adicione os ovos, um a um, batendo bem depois de cada adição. Adicione a baunilha e bata por mais 1 minuto, até ficar fofo e a mistura clarear. Misture o creme de leite. Em velocidade baixa adicione metade da mistura de farinha, batendo até incorporar. Adicione 1/2 xícara de água. Adicione o resto da mistura de farinha e bata até incorporar. Distribua a massa nas forminhas de cupcakes e leve ao forno pré-aquecido a 180ºC. Estará pronto quando espetado com um palito o mesmo saia limpo. Logo após retirar os bolinhos do forno, dê uma leve achatada no topo deles, para que fiquem retinhos para receberem a cobertura de marshmallow.

Marshmallow: Em uma vasilha grande e resistente ao calor, misture o açúcar, a água, claras e o cremor de tártaro. Bata com a batedeira por 1 minuto, até espumar. Coloque a vasilha sobre uma panela com água quase fervendo, em fogo baixo e bata sem parar em velocidade alta, por 15 minutos, até formar picos bem firmes. Retire do fogo, adicione a baunilha e bata por mais uns 3 minutos, até a mistura engrossar e ganhar textura de marshmallow (consistente e com brilho). Transfira o marshmallow para um saco de confeitar com o bico grosso para fazer espirais e decore seus cupcakes com ele, fazendo topos do tipo sorvete. Depois de prontos, coloque-os na geladeira enquanto prepara a cobertura de chocolate.

Cobertura: Derreta o chocolate com o óleo em banho maria. Caso deseje fazer o "banho" de chocolate em toda a cobertura, coloque em um copo ou xícara onde seja possível mergulhar o bolinho. Quando estiver frio, retire os cupcakes da geladeira e mergulhe os topos de marshmallow no copo de chocolate. Eu apenas "respinguei" o chocolate, pois como comentei anteriormente, não gostei do sabor do chocolate que havia comprado e não quis comprometer o resto da receita, que estava uma delícia.

26.7.12

Cheesecake de doce de leite



Há tempos que queríamos testar uma receita de cheesecake em casa... Tínhamos programado fazer uma cheesecake com manteiga de amendoim da Nigella, mas ela parecia tão complicadinha e cheia de ingredientes para fazer, que na hora sempre desistíamos. Foi aí que encontramos no blog Na Minha Panela a receita dessa cheesecake de doce leite. Poucos ingredientes e fácil de fazer. Tão fácil que criamos mais camadas além da indicada na receita (base e cobertura).

Base
2 pacotes de bolacha amanteigada de chocolate

Creme
350g de cream cheese
250g de doce de leite
2 ovos

Cobertura
200g de chocolate amargo
1 e 1/2 caixinha de creme de leite

Preparo
Base: triture as bolachas e forre o fundo de uma assadeira com fundo removível. E é só isso nesta etapa... Como a bolacha já é amanteigada e sobre ela irá o creme da torta, não há necessidade de colocar nada para "dar liga". Depois tudo fica no lugar.
Creme: respira fundo que essa parte também é difícil - coloque tudo no liquidificador e bata por uns 3 a 5 minutos. Despeje com cuidado sobre a base e leve ao forno pré-aquecido a 180º por aproximadamente 30 minutos ou até que fique bem firme.
Cobertura: coloque o creme de leite numa panela e leve ao fogão em fogo baixo. Quando começar a ferver desligue e junte o chocolate em pedaços. Mexa bem até o chocolate derreter por completo. Coloque a cobertura sobre a cheesecake já retirada do forno e leve para gelar.

Observação: nós utilizamos um doce de leite argentino, daqueles mais escuros e que acabam por não ser tão doces. Se você for mais formiga, talvez seja interessante usar um doce de leite de leite condensado cozido (como explicado lá no final da receita de churros) ou algum mais doce de sua preferência.

16.7.12

Torta salgada de liquidificador



Essa torta é uma mão na roda e deliciosa. A massa é super fácil de fazer, já que o nosso trabalho é apenas jogar tudo no liquidificador. E de recheio podemos usar o que a criatividade permitir e a geladeira liberar. Já fiz essa receita duas vezes e provavelmente farei mais algumas, pois tenho diversas versões de recheio pipocando na cabeça.
Tirei a receita daqui.

Ingredientes
2 ovos
2 xic de leite (uso desnatado)
1 e 1/2 xic de trigo (uso 1 integral e 1/2 branca)
1/2 cebola
1/2 xic de óleo
1 colher de sopa de fermento químico (de bolo)
Sal a gosto
Orégano e queijo para polvilhar
** eu ainda acrescento sementes de linhaça dourada e algum dos nossos mix de temperos.

Recheio utilizado 
Queijos diversos (tinha mussarela, prato e provolone dando sopa na geladeira)
Peito de peru defumado e moído
Linguiça tipo patê
Requeijão
Milho verde

Preparo
No copo do liquidificador coloque os ovos, leite, cebola, óleo, trigo, fermento e temperos. Bata por alguns minutos, até que a massa fique homogênea. Em uma travessa untada com margarina e trigo, disponha metade da massa. Coloque o recheio escolhido e cubra com o restante da massa. Polvilhe queijo e orégano, para que o topo da torta fique dourado e perfumado. Leve ao forno pré-aquecido a 200º por aproximadamente meia hora ou até que a massa cresça e fique dourada.
Sobre as ideias de recheio que comentei, penso em na próxima vez fazer uma versão de hot dog gigante, com molho vermelho, salsichas em rodelas, milho, ervilha e queijo. Deve ficar bom, não?!

2.7.12

Bolo de cenoura


Sobre a receita de hoje não há muito o que escrever. O bolo de cenoura é um clássico, a maioria das pessoas gosta e existem diversas versões dele. Vou passar aqui a receita que mais gosto de preparar, pois é bem facinha de ser feita e o resultado é um bolo muito gostoso.

Ingredientes
BOLO
2 ovos (claras separadas, batidas em neve)
2 xic de açúcar (uso 3/4 de xic de União Light)
2 xic de trigo*
3/4 xic de óleo
1/2 xic de leite
2 xic de cenoura picada (aprox. 3 cenouras médias)
1 colher sopa de fermento
* Pode substituir por farinha integral ou fazer meio a meio que dá certo também.
COBERTURA
3 colheres sopa de margarina
3 colheres sopa de açúcar
3 colheres sopa de cacau em pó
3 colheres sopa de leite
(esta é a receita da minha mãe, mas admito que eu faço no "olhômetro" - mais cacau, menos gordura, mais leite...)

Preparo
Peneire a farinha de trigo e o fermento em um bowl e deixe separado. No liquidificador bata por uns 3 minutos as gemas, o açúcar, óleo, leite e cenouras. Junte a mistura de ingredientes batidos ao bowl com o trigo e fermento peneirados. Misture delicadamente até que a massa fique homogênea. Incorpore as claras em neve com movimentos leves para que o ar se mantenha e deixe o bolo fofinho. Coloque a massa em uma forma untada com manteiga e farinha e leve para assar em forno pré-aquecido a 200ºC até que fazendo o teste do palito o mesmo saia limpo.
Para a cobertura, misture bem todos os ingredientes e leve a fogo baixo, mexendo esporadicamente até que fique mais espesso.

21.6.12

Chicago Style Pizza

A inspiração do post de hoje veio de um programa de culinária que passa no canal pago TLC:  Emeril Ecogastronomia (Emeril Green). O programa do Chef Emeril acontece dentro de um mercado (o Whole Food, especializado em alimentos orgânicos - quando viajarmos ele fica como ponto turístico para visitação, hehe) e ele recebe pessoas e procura resolver seus problemas: gente que só sabe fazer um prato, a vegetariana que tem marido carnívoro, etc... E em um deles tinha a mulher que é cozinheira de mão cheia mas que não acertava na massa da pizza. Logo, o programa foi todo em cima de escolher ingredientes para massa, molho e recheios de uma pizza de qualidade. Tudo isso para contar que enquanto o chef passava a receita de uma massa básica de pizza, esticada fininha, como uma pizza "tradicional", ele ensinou à convidada um tipo de pizza chamada de Chicago Style Pizza ou Deep Dish Pizza, que é uma pizza feita, em termos literais, em um prato fundo. A pizza tem bordas e massa grossa, recheio generoso e invertido (o molho vem por cima de tudo). Acho que chegamos a babar vendo o resultado final dessa pizza: era grossa, crocante, suculenta... E nos lembrou demais a clássica Pan Pizza da Pizza Hut. Não demorou muito para anotarmos os ingredientes e o modo de preparo do programa para tentar fazer a tal pizza. Mas qual foi a nossa surpresa ao tirar a nossa pizza do forno e não encontrar nela nada parecido com a pizza do programa ou com a Pizza Hut. Bem decepcionante. Mas aos poucos descobrimos que a culpa não era nossa: o programa é bastante interessante de conteúdo para nos dar ideias, mas é difícil acompanhar as receitas por lá. Faltam alguns detalhes, sabe? Porém não nos demos como vencidos e procuramos novas receitas para produzirmos a nossa deep dish pizza. Como pela televisão não deu certo, fomos para a internet. E há uma imensidão de receitas para este estilo de pizza na web, portanto escolhemos um blog gringo que era bem explicadinho e tinha fotos tentadoras do resultado final. E foi assim que comemos nossa gostosa Pan Pizza, baseada na receita do blog What A Dish!

Ingredientes
1 e 1/3 de xícara de água morna
1 colher de sopa de açúcar
3 colheres de chá de fermento biológico seco
1/4 de xícara de leite em pó desnatado
1 colher de chá de sal
1 xícara de farinha de trigo
3 xícaras de farinha de trigo para pão ***
2 colheres de sopa de óleo de canola (para a massa)
3 a 5 colheres de sopa de óleo de canola (para untar e criar a crosta crocante da pizza)

*** Como por aqui não encontramos à venda nenhuma farinha específica para a produção de pães, pesquisamos e utilizamos uma mistura de farinha de trigo com farinha de glúten (a farinha de glúten é facilmente encontrada em casas de produtos naturais). Para ter sua farinha para pão, para cada xícara de trigo, você substitui 2 colheres de sopa da farinha de trigo pela farinha de glúten.
Então, para esta receita, é usado o total de 4 xícaras de farinhas de trigo, sendo que 6 colheres de sopa dela são substituídas por farinha de glúten

Preparo
1 - Coloque o fermento e o açúcar em uma tigela (pode ser a da batedeira, caso você tenha uma que bata massas pesadas). Adicione a água morna e dissolva o fermento. Deixe descansando por 5 minutos, ou até que o fermento crie bolhas e se transforme em uma "espuma".
2 - Adicione o leite em pó, o sal, óleo e inicialmente 3 xícaras da mistura de farinhas. Vá acrescentando farinha até que todos os líquidos estejam absorvidos e a massa não grude mais nas mãos. Aqui usamos praticamente toda a mistura de farinhas para atingir o ponto. Coloque a massa em uma superfície lisa e sove em torno de 10 minutos. Ou então utilize o batedor em forma de gancho e deixe a batedeira fazer esse trabalho por você.
3 - Divida a massa em três bolas. Unte formas de bolo como esta com o óleo separado para untar. Seja generoso com o óleo, untando bem o fundo e as laterais das formas. Abra as bolas de massa no tamanho de suas formas. Aqui você pode abrir com as mãos mesmo, já que o resultado procurado não é uma massa fininha. Coloque as massas nas formas untadas, cubra as formas com panos de prato e deixe as massas crescerem em local morno (colocamos dentro do forno desligado) por aproximadamente uma hora e meia.
4 - Passado o tempo de descanso, você terá massas gordinhas prontas para serem recheadas. Afunde um pouquinho o centro das massas, pressionando com as pontas dos dedos, deixando apenas as bordas cheinhas. Use sua criatividade para rechear suas pizzas e leve-as ao forno por aproximadamente 15 minutos, ou até que a massa esteja dourada e o queijo borbulhante.

Ideias de recheio
Queijo mussarela + pepperoni + milho + orégano + molho de tomate (é a da foto)
Queijo mussarela + peito de peru defumado + milho + orégano + molho de tomate
Queijo provolone + presunto + tomate + pimentão + orégano + molho de tomate
Queijo mussarela + tomates + manjericão + molho de tomate
Queijo mussarela + calabresa + orégano + molho de tomate

14.6.12

Brownie de microondas


Essa receita é um pouco perigosa de aprender, caso você tenha problemas com a balança (ou com a autoestima). Afinal, em poucos minutos você tem em mãos um bolinho quente, denso e que combina muito bem com sorvete. O segredo é utilizar ingredientes de qualidade, que irão garantir uma sobremesa deliciosa para aquele momento "eu preciso de um doce!!!" (diariamente eu tenho uns 10 desses...).
O aviso foi dado. Mas caso você queira correr o risco, aí vai a receita, que foi um tantinho adaptada do blog Na Minha Panela,  pra você correr pra cozinha  para fazer e comer esse bolinho em minutos.

Ingredientes
3 colheres de sopa de chocolate amargo em gotas ou pedaços (escolha um de boa qualidade, senão não vale a pena seguir)
1 colher de sopa de manteiga
1 colher de sopa de açúcar
2 colheres de sopa de trigo
2 colheres de sopa de leite

Preparo
Derreta o chocolate junto com a manteiga no microondas. Coloque 30 segundos e depois vá controlando de 10 em 10 segundos para não queimar o chocolate. Depois de derretido, acrescente ao chocolate o açúcar, o trigo e o leite. Mexa bem até ficar homogêneo. Creme lisinho e bonito? É só colocar no microondas por aproximadamente 1 minuto. Mas como os microondas podem variar entre si, coloque primero 50 segundos. Observe se o bolinho parece assado...caso ainda esteja cremoso, coloque mais 10 segundinhos.Só não exagere, pois o bacana é que fique úmido por dentro, para combinar com um sorvetinho.
Se quiser dar uma incrementada, algumas gotas de chocolate branco também ficam uma delícia nessa receita (foi o que fizemos nesse da foto).

7.6.12

Madeleines marmorizadas com creme de avelã

Quem gosta de se aventurar na cozinha, sabe que a internet fornece uma imensidão de receitas, novidades e acessórios que viram sonhos e desejos de consumo. Como boa formiga que sou, meus blogs favoritos sempre foram aqueles que traziam mais receitas de doces, bolos, sobremesas... Os mais refinados sempre traziam receitas de financiers, trufas, brownies, blondies e as interessantes madeleines. Elas sempre me chamaram a atenção por causa do formato bonito, delicado...a consistência parecia macia e o doce saboroso. E trazia um desafio: não achava de maneira alguma as forminhas das maledetas, digo, madeleines por aí. Só na internet, mas em sites caros de doer. Até que um dia, nas intermináveis horas em que eu ficava navegando nas "prateleiras virtuais" de livros gastronômicos, encontrei esse livro/kit chamado Mini Madeleines, de Sandra Mahut. Tinha tudo o que eu precisava: forminhas e receitas, então obviamente que joguei no carrinho e aumentei a biblioteca de casa. Só pra resumir a história do docinho, as madeleines são pequenos bolinhos esponjosos, tradicionalmente franceses e em forma de concha. Agora, pra falar verdade, eles são realmente bonitinhos e gostosos, porém nada de extraordinariamente diferente de qualquer outro bolinho. O mais legal mesmo é o charme dos bolinhos miudinhos, ao estilo "petit four".

Ingredientes
2 ovos
150g de açúcar
150g farinha peneirada
1 colher café de fermento
125g de manteiga em temperatura ambiente
2 colheres sopa de leite
1 colher de sopa de creme de avelã (eu usei mais, porque chocolate nunca é demais...)

Preparo
Bata os ovos junto com o açúcar até obter um creme claro. Adicione, aos poucos, a farinha e o fermento peneirados. Acrescente a manteiga e o leite. Adicione o creme de avelã e misture bem e coloque a massa por 30 minutos na geladeira. Pré-aqueça o forno a 220° e despeje, em colheradas, a massa nas cavidades da forma, que deve estar bem untada. Leve ao forno e deixe assar por 3 a 4 minutos e então reduza a temperatura do forno para 180° e asse por mais 5 a 6 minutos.
Bata os ovos junto com o açúcar até obter um creme claro. Adicione, aos poucos, a farinha e o fermento peneirados. Acrescente a manteiga e o leite. Adicione o creme de avelã e misture bem e coloque a massa por 30 minutos na geladeira. Pré-aqueça o forno a 220° e despeje, em colheradas, a massa nas cavidades da forma, que deve estar bem untada. Leve ao forno e deixe assar por 3 a 4 minutos e então reduza a temperatura do forno para 180° e asse por mais 5 a 6 minutos.

25.5.12

Bolo de maçã


Com essa coisa de dieta, reeducação alimentar e tudo mais, eu me vi experimentando diversas coisas que, na teoria, eu odiava. A primeira delas foi a abóbora. Torcia o nariz para qualquer coisa que levasse abóboras, pois dizia não gostar das mesmas. Mas na verdade sequer lembrava de tê-las provado. Com a dieta, descobri que as abóboras possuiam bons valores nutricionais e eram "magrinhas", com poucas calorias por porção. Eu tinha que tentar, né? Virou amor, principalmente na forma de creme apimentadinho. Outra coisa que me apavorava o paladar eram maçãs quentes... Maçã para mim era só in natura, nas saladas de frutas e vitaminas. Strudel? Tortinha de maçã? Purê de maçã? Argh... Aí que aparece meu tio (oi Jean!) dizendo que havia provado um bolo de maçã delicioso e integral, que cairia bem pra dieta. A princípio a ideia não me atraiu muito, até que minha oma (vó, para os não alemães) mandou um pedaço do tal bolo para mim no trabalho. O cheiro era tão gostoso, que quase não consegui esperar a hora do lanchinho para experimentar o bolo. E como ele era gostoso! Tratei de pegar a receita e reproduzi-la em casa. É um bolo muito facinho de fazer e tem a vantagem de aproveitar a maçã inteira, adicionando ao bolo fibras, vitaminas e tudo mais. Anota aí:

Ingredientes
2 xic de açúcar (usei 1 xic de União Light)
2 xic de farinha de trigo integral
3 maçãs descascadas e cortadas em cubinhos (Importante: reserve as cascas!)
3 ovos
1 colher chá de canela - ou a gosto
2 colheres chá de fermento em pó
3/4 xic de óleo

Preparo
Em um liquidificador, coloque os ovos, óleo, açúcar, canela e as cascas de maçã. Bata por 3 a 5 minutos ou até ficar bem homogêneo e sem cheiro de ovo. Em um bowl misture a farinha, o fermento e as maçãs picadas (assim elas ficam cobertas de farinha e não afundam na massa). Acrescente à mistura de farinha e maçãs a massa líquida batida no liquidificador. Misture com delicadeza até que a massa fique bem lisa e homogênea. Coloque em uma forma untada e farinhada (já fiz na tradicional com furo no meio e na forma de "pound cake" ou bolo inglês). Leve ao forno pré-aquecido a 180ºC até que fazendo o teste do palito o mesmo saia limpo.

17.5.12

Favas de baunilha

 Logo no começo do blog (lá na terceira receita, da Gostosura D´Itália), eu decidi escrever um post com algumas dicas sobre favas de baunilha. Acabei me enrolando um pouco, mas quatro meses depois venho finalmente compartilhar algumas coisas interessantes que aprendi e que percebo que há muita gente que não sabe.
Pensei em começar o post falando sobre o que é a baunilha, de onde vem, como é processada (da planta ao produto que consumimos) e todo esse papo técnico, mas para isso há o Google e a Wikipedia. Vamos direto à parte importante:

Como usar a baunilha em favas:
Há diferentes usos para as favinhas de baunilha: pode-se cortá-la no sentido do comprimento e extrair as 'sementinhas', que podem ser usadas no lugar da essência de baunilha. Em receitas onde ferve-se leite, a fava pode ser acrescentada à bebida (inteira, ou aberta), e retirada ao final do preparo. Se for utilizá-la inteira, o sabor de baunilha ficará bem mais suave, porém a fava poderá ser lavada e reutilizada. E pode-se também fazer seu próprio extrato de baunilha ou açúcar baunilhado, que são formas boas de fazer render sua favinha, já que ela geralmente tem um preço alto (mas leia o post até o final para descobrir uma forma de pagar barato na sua baunilha).
Fava "aberta" (cortada no sentido do comprimento e conteúdo raspado com a faca)
A melhor parte de fazer o açúcar e o extrato, é que você pode utilizar uma fava que já usou em outra receita, aproveitando assim o máximo que puder de suas favas de baunilha.
Para fazer o açúcar, basta acrescentar a fava (cortada ao meio) em um pote de açúcar, fechá-lo bem, guardá-lo e esperar. É isso mesmo, em poucas semanas o açúcar será "contaminado" pelo aroma da baunilha, proporcionando assim um açúcar baunilhado de excelente qualidade. Essa fava pode ser uma que você já usou as 'sementinhas' em outra receita. Quanto mais favas no açúcar, mais intenso será o aroma e sabor da baunilha.
Para o extrato, a ideia é a mesma, mas as favas serão acrescentadas à vodka. O segredo aqui é utilizar uma vodka de qualidade (de preferência tridestilada), e guardar a mistura em um local seco e escuro, agitando o recipiente ocasionalmente (uma vez por semana já tá legal). Em 2 meses você poderá usar esse extrato no lugar da essência artificial, e perceberá uma diferença descomunal!
Nosso extrato de baunilha
Mesmo depois disso tudo, é provável que muitos ainda estejam receosos em comprar sua fava de baunilha. É bem compreensível, já que uma mísera favinha costuma custar em torno de 16 a 20 reais no supermercado.
Passei pelo mesmo dilema quando pensei em experimentar a fava de baunilha pela primeira vez, há pouco mais de um ano. Mas acabei encontrando uma solução muito econômica e interessante: o Mercado Livre!
Isso mesmo, se procurar por "fava de baunilha" no Mercado Livre, você encontra vários vendedores oferecendo o produto a diversos preços. Não vou dar o nome do vendedor de quem compramos nossas favas por dois motivos: não quero fazer propaganda de graça pra ele, e não ficamos satisfeitos com o atendimento depois da venda (ou com a falta do atendimento, na verdade). Então aconselho que vocês façam uma boa pesquisa, ponderem bem os argumentos dos vendedores, analisem as reputações dos vendedores no próprio site, escolham e comprem. Mas comprem baseados em suas próprias convicções, pois eu detestaria ser responsável por alguém comprar um produto e acabar se decepcionando.
O que posso dizer de minha experiência é que compramos as favas por um preço muito barato (um dos menores do Mercado Livre), e não nos arrependemos. Mais tarde viemos a adquirir uma dessas favas caras que vendem no supermercado, afim de compararmos com as que compramos no Mercado Livre. A diferença principal que notamos foi na quantidade de baunilha que vinha dentro da favinha. Dava quase o dobro! Mas com a diferença de preço, ainda sai muito mais barato usarmos 2 favas das mais baratas em uma receita, então seguimos satisfeitos com a compra!
Quem quiser compartilhar suas experiências com favas de baunilha, fique à vontade para usar o espaço de comentários aqui do blog. E o mesmo espaço também está aberto para quem tiver dúvidas, que teremos prazer em respondê-las!

11.5.12

Brownies tradicionais



Há tempos que eu estava com muita vontade de comer brownies. Com casquinha crocante e interior cremoso. A dieta certamente não permite essa iguaria cheia de chocolate, açúcar e manteiga, então nada melhor que receber os amigos em casa e dividir o doce com eles. Foi certeiro. Escolhemos a receita de Brownies Tradicionais do livro 200 receitas irresistíveis com chocolate. O livro é ótimo e as fotos são realmente irresistíveis. Os brownies são fáceis de fazer, os ingredientes são simples e nossa única mudança seria em relação à quantidade de açúcar. Aqui nós duplicamos a receita e meio quilo de açúcar foi demais. Eles estavam sim deliciosos, mas como estamos numa onda mais light, de chocolate amargo e tudo mais, ficou meio enjoativo pro nosso paladar. Na próxima, reduziremos o açúcar para ver se fica no ponto!

Ingredientes
75g de chocolate amargo
75g de manteiga
2 ovos
250g de açúcar
100g de farinha de trigo
1/2 colher (chá) de fermento em pó

Modo de preparo
Derreta o chocolate com a manteiga em banho maria.
Bata os ovos e o açúcar em uma tigela até formar um creme claro. Acrescente o chocolate derretido, a farinha e o fermento peneirados e mexa bem.
Unte uma forma quadrada de 20cm e forre o fundo com papel manteiga. Despeje a mistura na forma e asse em forno preaquecido a 190ºC por 25 minutos, até a massa ficar firme. Deixe esfriar na forma por 5 minutos e corte em quadrados. Decoramos nossa "torre de brownies" com um tiquinho de açúcar abaunilhado peneirado.

3.5.12

Creme de abóbora com batata-baroa


Precisamos pedir desculpas pelo sumiço! Andávamos meio distantes da cozinha, por causa da rotina corrida e também pela dieta e com isso ficamos sem receitas novas para atualizar o blog. Como pedidos de desculpas, retornamos com uma sopa quentinha, simples de fazer e muito gostosa para combinar com os dias friozinhos como os que têm feito. Além disso, para quem está se preocupando com a balança, a sopa também é light! A abóbora é muito nutritiva e traz poucas calorias consigo. Delícia!

Ingredientes
1 abóbora paulista de aprox. 800g descascada e em cubos
1 batata-baroa grande descascada e em cubos (ou ainda batata-salsa ou mandioquinha)
1 cebola pequena
2 dentes de alho
2 cubos de caldo de legumes (pode ser de frango também, se preferir)
1 pimenta dedo de moça pequena e sem as sementes
Azeite de oliva
Temperos a gosto (usamos 2 colheres de sobremesa de um mix com ervas, pimenta, alho e cebola, tudo desidratado. Esse mix leva ainda um pozinho de caldo de galinha junto)
Quanto baste de água

Modo de preparo
Espalhe um fio de azeite em uma panela antiaderente e refogue nele a cebola,o alho e a pimenta dedo de moça picados. Acrescente a abóbora e a batata-baroa, misturando para que comecem a refogar junto aos demais ingredientes. Junte ao refogado o caldo de legumes e os temperos escolhidos. Mexa por alguns minutos para que os sabores se unam.Quando os cubos de caldo já estiverem desmanchados e todos os temperos envolvendo bem a abóbora e a batata, cubra com água, até uns dois dedos acima do refogado. Misture bem e deixe cozinhar em fogo médio. Em aproximadamente 15 minutos a abóbora e a batata devem estar cozidas. Desligue o fogo e coloque toda a mistura em um liquidificador. Tenha o cuidado de tirar a tampinha da tampa (sabe aquela tampinha que tem no meio da tampa do liquidificador? Então...é essa!) e cobri-la com um pano. Isso serve para que não se crie um calor excessivo na jarra do liquificador, o que poderia causar algum acidente. Bata o suficiente para que sua mistura vire um creme liso. Devolva para a panela e prove, ajustando os temperos. Agora é só servir com torradinhas e boa refeição!

12.4.12

Cupcake de Chocolate LIGHT


Esta receita foi adaptada do post "O melhor bolo de chocolate", do A Cozinha Coletiva. Confere lá.
Na casa do Couple of Food, que encara uma dietinha básica, ele apareceu na versão integral, com açúcar light e maçã ralada para dar umidade à farinha integral. Ficou uma delícia, nem pareceu light! Faz aí para comprovar.

Ingredientes* xícara medidora de 240ml
1 e 1/2 xícara de farinha de trigo integral
1/4 xícara de farinha de trigo
3/4 xícara de açúcar light (União Light)
3/4 xícara de cacau em pó
2 colheres de chá de bicarbonato de sódio
1 colher de chá de fermento em pó
1 colher de chá de sal
1 xícara de buttermilk (usar 2 colheres de sopa cheias de iogurte e completar a xícara com leite desnatado)
1/3 xícara de óleo vegetal (usei óleo de coco extra-virgem)
2 ovos
1 colher de chá de extrato de baunilha
160ml de café espresso quente (pode-se utilizar café solúvel instantâneo forte)
Gotinhas de chocolate (opcional - utilizamos chocolate amargo 70% cacau)
1 maçã pequena sem casca e ralada (ralo fino, quase um purê)

Modo de preparo
Comece separando dois potes: uma para os ingredientes secos e outra para os úmidos. Primeiramente, coloque em um dos potes os ingredientes secos, na ordem em que aparecem na receita (farinhas, açúcar, cacau em pó, bicarbonato, fermento e sal). Misture-os delicadamente com um fouet. Noutro pote, coloque o buttermilk, os ovos, o óleo e o extrato de baunilha e misture bem para incorporá-los. Não bata demais. Delicadamente, incorpore aos poucos a mistura dos líquidos nos ingredientes secos, sem bater. Adicione o café quente, deixando a mistura homogênea. Finalize com as gotinhas de chocolate e a maçã ralada. Divida a massa em forminhas e leve-os para assar em forno pré-aquecido a 200º. Estarão prontos quando no teste do palito o mesmo sair limpo. Simples, gostosos e com culpa reduzida.